159. Senhor Invicto



Sem muitas palavras, apenas dedico esse texto ao garoto que me fez ter inspiração nos momentos mais inusitados.




Começou com um simples "oi" em uma noite de domingo.
Logo vieram os beijos, os toques, as risadas, os amassos, os doces domingos que te tocava, os doces dias em que estávamos juntos. E fomos evoluindo, você entrou no minha vida como um furacão levantando toda a poeira e me surpreendendo com a intensidade, algo que nunca vivi ou pensei em viver.
As suas palavras começaram a emanar uma força no meu corpo, seus olhos transmitiam a mais profunda energia que pude sentir aliás eu estava perdidamente apaixonada por eles  assim como tudo em você. Dizer "eu te amo", falar coisas bregas e fofas foi indescritível. Os momentos em que mais me aprofundei nessa relação foram quando te vi despido, não apenas de corpo mais de alma. Conheci seu verdadeiro eu, seu interior era tão lindo quanto imaginei, seus defeitos para mim pareciam perfeitos. As vezes queria que você olhasse como eu te olhei para ver que eu não estava brincando, que nunca foi falácia o que senti ou falei nem muito menos o que fiz. Foi tudo por nós, e acima disso por você. Queria que visse a agonia de não poder descrever o quanto eu amava você em textos, fotos, sexo eu não sei, mais eu tentei de diversas formas. Era divertido!
Passamos por tempos difíceis, tempos bons, mais você estava lá em todos eles. Me deu o ombro pra chorar, me deu sua mão pra segurar, seu corpo para me aquecer e seus braços como meu novo porto seguro, o mais gostoso e prazeroso porto seguro.
Eu amava você sem medo, meu choro de felicidade era inevitável e mesmo que não tenha sido perfeita eu passei de vários limites próprios para te dar mais prazer. Eu me senti invicta, igual a você neste momento.
Apesar que eu sabia que mais águas turbulentas viriam eu tinha você, eu estava preparada...
Pelo menos foi o que pensei!
Em um piscar de olhos as coisas mudaram, você se tornou distante, me mostrou um lado seu que não sabia o quanto iria me ferir, mais tentei segurar as pontas, tentei te puxar dos seus lados mais obscuros, queria que visse que eu estava lá pra te ajudar com seus demônios e que seria apenas um obstáculo a passar e assim voltaríamos a ser invictos. 
Mas não aconteceu, não teve final feliz.
Do nada você começou a me despedaçar, foram os momentos mais doloroso que senti. Eu precisava de você, como uma droga, e você apenas negligenciava. Dizia que me amava mais se distanciava, me machucava, e apesar de em parte eu aceitar passar por todo o sofrimento eu só fiz isso pela micro esperança que tinha de que você voltaria.
Mas não voltou, e eu te esperei, te esperei até me machucar demais. Esse talvez tenha sido o meu erro, ter esperança.
E fostes embora, me deixaste e abandonaste com um famoso cão sem dono. Doeu e ainda dói. 
Afinal o que eu senti foi amor, o que eu procriei foram os sentimentos mais puros por alguém que talvez nem estivesse mesmo lá. A rejeição nos faz refletir e abrir os olhos que nem sempre aquela pessoa te amou como você a amava, que a reciprocidade talvez não tivesse existido ou que apenas entrou de cabeça em mais uma pessoa que não soube lidar com a minha profundidade. 
O que mais não compreendo é que as fortes palavras e o fato de ser "a única" para você o fez me tratar como aquelas que te destruíram. Disso eu tenho certeza que não fiz, porque tentei te ajudar com seu caos, entrei nele e não fiz questão de muda-lo, eu o amava. 
Agora queria que tu me olhaste como eu te olho, no presente, quem sabe assim veria o danos que causou.
Enquanto saíste invicto, eu sai quebrada. Mais não vou desistir de recuperar meus caquinhos, mesmo sentindo imensamente sua falta, mesmo te ligando bêbada para não lembrar do que te disse no outro dia para amenizar a angústia eu vou tentar seguir, afinal tenho muitos cigarros a tragar e álcool para beber.
E assim foi, uma história tão bonita ou até invejável que teve um fim comovente, mesmo saindo machucada eu sei que tentei dar o melhor de mim para alguém que talvez nem soubesse com quem estava se metendo.
Senhor Invicto.